Plantando Sementes para Transformação

(série Educação Transformadora)

Ao ensinar nossos alunos, o que vai fazer a diferença mais transformadora em suas vidas? Serão as aulas de formação espiritual que trabalhamos tanto para tornar relevantes e práticas? As oportunidades de servir os outros na escola e na comunidade? A influência de professores e funcionários dedicados e íntegros da escola?

Embora tudo isso seja importante, não penso que seja o mais importante. Tudo isso depende de nós e do que fazemos. Essas coisas são evidências de uma vida transformada, mas elas mesmas não são o que nos transforma. O salmista declara: “Guardo a tua palavra no meu coração para não pecar contra ti.” (Sl 119:11) Jesus disse aos seus discípulos que estava dando-lhes o Espírito Santo que, quando viesse, os guiaria em toda a verdade e os convenceria do pecado e da justiça, e do juízo. (Jo 16:7–15) Uma das maneiras mais poderosas que o Espírito convence é lembrando-nos do que a palavra de Deus diz. No entanto, para que nós (ou nossos alunos) nos lembremos do que a Palavra diz e sejamos transformados por ela, devemos primeiro esconder essa palavra em nossos próprios corações.

Nos sistemas educacionais ocidentais, aprender algo com memória mecânica adquiriu uma reputação negativa. Concentramos grande parte de nossa atenção e esforço em estimular os alunos a níveis profundos de pensamento cognitivo, e frequentemente descartamos atividades que dependem de memorização. No entanto, a memorização tem seu lugar na sala de aula. Os alunos que dominam suas tabelas de multiplicação têm mais facilidade para concluir processos matemáticos mais complicados. O tempo gasto na memorização de uma habilidade beneficia os alunos posteriormente, à medida que são apresentados a outras habilidades que exigem níveis mais profundos de cognição. Da mesma forma, os alunos que memorizaram a palavra de Deus têm uma maior reserva de verdade escondida em seus corações. Esta memorização é a base para uma compreensão e aplicação mais profundas da verdade bíblica.

Os versos que memorizei no ensino fundamental e médio talvez não significaram muito para mim na época. Tenho certeza de que houve momentos em que me rebelava contra ter que memorizá-los. Minha compreensão dos versículos pode ter sido limitada, na melhor das hipóteses. Apesar de tudo isso, desenvolvi uma profunda reserva de verdade que anos depois foi trazida à tona pela ação do Espírito, ensinando-me, convencendo-me e me encorajando. Ao incentivar os jovens a memorizar as Escrituras, os estamos equipando e preparando o terreno para a obra transformadora do Espírito Santo. Podemos não ver a fruta, mas esse não é o xis da questão. Ao educarmos “a criança no caminho em que deve andar” (Pr 22:6), plantamos sementes que o Espírito Santo pode usar à medida que ela cresce. Podemos ter certeza de que “a palavra de Deus é viva… e penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas” (Hb 4:12) Sabemos que essa palavra “não voltará… vazia, mas… prosperará” naquilo para que Deus a designou (Is 55:11).

Como professores nas escolas cristãs, temos o incrível privilégio de ensinar essa Palavra de Deus aos nossos alunos. Temos a oportunidade de plantar as sementes da verdade de Deus. Embora certamente desejemos que nossos alunos se envolvam com as verdades e os princípios bíblicos em níveis cognitivos cada vez mais profundos, seríamos tolos em negligenciar esse primeiro passo crítico: memorizar as Escrituras. Não podemos trabalhar na transformação na vida de nossos alunos; nós nem podemos trabalhar na transformação em nossas próprias vidas. Esse é o trabalho do Espírito Santo. Mas podemos, e devemos, oferecer oportunidades para esconder a Palavra de Deus em seus corações aos nossos alunos. Creio que é a coisa mais transformadora que podemos ensinar. Não vamos negligenciar essa oportunidade.

“Ponham estas minhas palavras no seu coração e na sua alma. Amarrem-nas como sinal na mão, para que sejam por frontal entre os olhos. 19Ensinem essas palavras aos seus filhos, falando delas quando estiverem sentados em casa, andando pelo caminho, quando se deitarem e quando se levantarem.” (Dt 11:18–19)




Rebecca Hunsberger
Coordenadora de Serviços de Educação de Professores
Diretora Adjunta de Serviços Escolares
TeachBeyond Global

Tradução: Raphael Haeuser

Posts recentes:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

Didaquê


Fique em contato com a gente

Escritório Nacional: Av. Júlio de Castilhos, 1401 Sala 501 — 95010-003 — Caxias do Sul/RS

um ministério:

TeachBeyond Brasil