O Impacto de uma Relação Professor-Aluno Saudável

Como podemos ajudar nossos alunos a aprender? De acordo com a pesquisa educacional, dois dos fatores mais determinantes na aprendizagem do aluno estão relacionados à relação professor-aluno. Isso não deveria nos surpreender, pois sabemos que fomos criados como seres relacionais à imagem de um Deus relacional.

De acordo com o pesquisador John Hattie, uma relação professor-aluno saudável ​​tem um tremendo efeito positivo na aprendizagem do aluno.[1] Quando os alunos sabem que seus professores os conhecem e se preocupam com eles como indivíduos, ficam mais dispostos a correr riscos e a cometer erros, e aprendem a ver esses erros não como fracassos, mas como oportunidades de aprender. Um aluno que sente que seu professor se importa com ele provavelmente trabalhará e se esforçará mais. Por outro lado, um aluno que acredita que seu professor o vê como difícil ou como “um problema” (seja essa percepção verdadeira ou não), ele terá menos probabilidade de se envolver totalmente no processo de aprendizagem.

Ainda mais impactante do que uma boa relação professor-aluno para a aprendizagem  é a credibilidade do professor.

Quando além de terem um relacionamento saudável com seu professor, os alunos ainda acreditam que podem aprender com ele, isso tem quase o dobro do impacto na sua aprendizagem​.[2]

O que constrói a credibilidade do professor? O mais importante é a confiança. Os alunos precisam acreditar que seus professores os conhecem como pessoas e “têm seus melhores interesses acadêmicos e sociais em mente”.[3] Além da confiança, os alunos precisam acreditar que seus professores são competentes tanto no conhecimento do conteúdo, quanto na prática pedagógica, que eles são apaixonados pelo que ensinam, que sabem da importância do que ensinam, e que eles serão confiáveis ​​e acessíveis.

O que tudo isso significa para nós, os professores? Aqui estão algumas ideias que parecem verdadeiras para salas de aula físicas e virtuais.

  • Chame os alunos pelo nome. Assim como o Senhor falou com Israel em Isaías 43:1, devemos chamar nosso aluno pelo seu nome e deixá-lo saber que ele é nosso, que o conhecemos e cuidamos de suas necessidades. Isso pode ser feito ao se dirigir aos alunos, mas também pode ser incorporado de maneiras mais sutis, como adicionando nomes dos alunos e os seus interesses aos seus exemplos quando ensina.
  • Observe os alunos individualmente e responda às suas necessidades. Pode ser fácil responder apenas aos alunos que buscam atenção (levantando as mãos, adicionando comentários ao chat, etc.). No entanto, todos os nossos alunos precisam saber que são valorizados. Devemos ter a intenção de incluir cada aluno na turma e encontrar meios de dar voz a cada aluno. (Achei útil manter um registro em meu livro de chamada de cada interação de aprendizagem. Isso revelou as desigualdades em minha sala de aula e me ajudou a envolver todos.)
  • Ofereça oportunidades para que os alunos falhem. Isso pode parecer contraproducente, mas permitir que os alunos falhem e, em seguida, dar-lhes ferramentas para transformar essa falha em uma oportunidade de aprendizagem aumenta a confiança do aluno no processo de aprendizagem. Os alunos precisam entender que uma resposta incorreta ou um comportamento indesejável não afetará o cuidado do professor por eles. Eles também precisam de ferramentas que os ajudem a aprender com seus erros. Isso pode significar dar um feedback significativo, uma oportunidade para fazer correções, ou até mesmo mais uma chance para realizar a atividade. A chave aqui é que os alunos saibam que o professor acredita neles e os apoiará.
  • Esteja disponível. Em uma sala de aula física, isso pode ser tão simples quanto se mover pela sala de aula, sinalizando aos alunos que você está lá se eles precisarem de você. Em um ambiente online, é essencial comunicar-se de forma clara e frequente e deixar claro quando e como eles podem contatá-lo para obter ajuda. A maneira como você responde — seu comportamento físico, tom de voz, etc. — deve comunicar aos seus alunos que as preocupações deles são importantes para você e que você tem o tempo e desejo de lidar com elas.

Em uma época em que grande parte da vida — para não mencionar a escola — foi interrompida e parece muito incerta, reservar um tempo para investir intencionalmente em relacionamentos positivos com seus alunos é um ingrediente essencial tanto no aprendizado do aluno, quanto no ministério da educação transformadora. É também um dos investimentos mais gratificantes que você fará neste ano!


Becky Hunsberger, M.Ed.
Coordenadora dos Serviços de Educação de Professores
TeachBeyond Global

[1] Fisher, Douglas, Nancy Frey, and John Hattie. The Distance Learning Playbook: Teaching for Engagement and Impact in any Setting. 9Thousand Oaks, CA: Corwin Press, 2020), 48. — O impacto positivo é 0,48.

[2] Ver p. 66 da obra acima. — O impacto positivo neste caso é de 1,09.

[3] Ver p. 66 da obra acima.

Posts recentes:

Eventos:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

Didaquê


Fique em contato com a gente

Escritório Nacional: Av. Júlio de Castilhos, 1401 Sala 501 — 95010-003 — Caxias do Sul/RS

um ministério:

TeachBeyond Brasil