Seja forte e corajoso, confiando no Senhor

Misericórdia, Senhor! Estou em desespero! A tristeza me consome a vista, o vigor e o apetite. Minha vida é consumida pela angústia, e os meus anos pelo gemido; falta-me a força devido à minha aflição, e os meus ossos se enfraquecem.”

Sl 31.9-10

Chega de notícia ruim, não é? Fiz questão de colocar estes versos de profunda angústia, que apontam para Aquele que mais sofreu e por fim entregou Seu espírito ao Pai (v5), para nos lembrarmos não da dor nossa de cada dia, MAS para reforçar de que podemos e devemos fazer isso diante de Deus!! Quem pode nos socorrer HOJE, em tempos de clausura, isolamento e medo? Família, amigos, máscaras, álcool gel, bons hospitais, médicos e enfermeiros competentes, todo recurso de uma UTI, isso tudo e mais podem nos garantir dias a mais de vida? Até podem e todo o possível deve ser feito por uma vida que seja, de qualquer raça, sexo ou idade. Salvações paliativas. Sobrevidas que passarão! Não quero ser trágico, mas real! Para todos nós, Davi deixa um convite ao renovo: “Amem e esperem no SENHOR. Sejam fortes e corajosos vocês que confiam nEle!” (23,24) Vivamos e proclamemos esta MENSAGEM! Você teria uma outra resposta para estes dias?

Erlo Saul Aurich

POR QUE’S

Por que ficam tentando tirar Deus de cena?
Por que Ele tem que ser “poupado” desse momento?
Por que achamos que temos que defendê-Lo salvoguardando-O dos conceitos de amor humano que impusemos a Ele e sem permissão?
Por que Ele, como soberano Senhor, tem que estar assistindo de expectador omisso a tudo o que nos tem acontecido nesses dias de pandemia e medo generalizado sem de nada participar, influir, envolver-se?
Por que Seu governo absoluto sobre todas as coisas, toda a criação (incluindo vírus, bactérias, amebas, átomos, moléculas…), todos os corações humanos e desumanos, todas as vidas e mortes, todos os anjos e demônios, todos os tempos e a eternidade tem sido questionado?
Por que Ele não tem o direito, como Deus, de intervir na história humana usando “o que” ou “quem” Ele quiser para cumprir Seus propósitos de juízo, de disciplina, de cuidado, de providência, de revelação, de salvação, de ressignificação sobre e para os homens?
Por que não crermos e admitirmos, simplesmente, como as Escrituras, exaustivamente, nos propõe, que não temos o controle das variáveis da vida e que ela, sobretudo, está em Suas mãos e, portanto, depende, em tudo, Dele?
Por que não aproveitamos o momento e caímos de joelhos arrependidos clamando por graça e misericórdia e crendo que pode ter sido justamente para isso que esse mal tem atingido nossas tendas?
Por que temer tanto se sabemos e cremos que Seu amor pelos que Nele creem não precisa de mais provas tendo a cruz sido posta no calvário e que, desde então, Ele busca reconciliar os homens consigo?
Por que os homens tentam esquivar-se do temor devido a Ele?
Por que…?

Bruno Brandão

Como é feliz o homem que se refugia no Senhor

O anjo do Senhor acampa-se ao redor daqueles que o temem, e os livra. Provem, e vejam como o Senhor é bom. Como é feliz o homem que nele se refugia!

Sl 34:7-8*

– Sim, anjos existem! E mais, zelam, cuidam e nos livram do mal! E ainda, de alguma forma sobrenatural, auxiliam-nos, servem segundo a vontade de Deus (“Os anjos não são, todos eles, espíritos ministradores enviados para servir aqueles que hão de herdar a salvação?” Hb 1.14). Você pode olhar ao redor. Não os enxergará (normalmente!), mas saiba que pelo menos um está acampado com você, e ao se levantar, ele o acompanhará!! Promessa de Deus! Você já não experimentou um livramento que não tinha explicação natural? Você saiu ileso. Já seu anjo, não sei… E para quem ainda duvida, há um convite no próximo verso: Prove e veja como Deus é BOM! Não é por Ele à prova, como fez o diabo na tentação de Jesus. Creio que seja “EXPERIMENTE”, peça a Deus para conhecê-Lo. Não sei como Ele se revelará a você. Uma coisa eu sei: desde a sua encarnação entre os homens, na pessoa de Seu Filho, os homens não tem mais desculpa de dizer: “não O conheço!” E para todos aqueles que ainda não conhecem o nome de JESUS, o Cristo, nossa Vida & Verbo podem demonstrar! E temos ainda mais de 3 bilhões de pessoas que não O conhecem! Mãos e vozes à obra, portanto!! O Senhor é bom!!

Erlo Saul Aurich

Seu coração já descansa no céu?

O Senhor desfaz os planos das nações e frustra os propósitos dos povos. Mas os planos do Senhor permanecem para sempre, os propósitos do seu coração, por todas as gerações. Como é feliz a nação que tem o Senhor como Deus, o povo que ele escolheu para lhe pertencer.” Sl 33.10-12 – Há planos paralelos: os das nações e os do Senhor. Os primeiros são passageiros. Os de Deus, permanentes, por todas as gerações. O povo que escolhe viver com Deus, este é feliz. Pergunto: que povo tem escolhido ser dEle, amá-Lo e servi-Lo? Nem o povo que Ele escolheu para ser Sua voz na terra fez isto. Pior, entregou Seu Filho para ser morto! E o que dizer de Seu próprio Corpo na terra desde Pentecostes, a Igreja? Temos um povo mais dividido, competitivo, distante da simplicidade e graça do Evangelho? O convite permanece: escolha ser dEle. Feliz serás! Talvez não te livres da crise, do vírus, da escassez, do martírio. “No mundo terás aflições!”. Mas os propósitos do Seu coração permanecem e se parecem com o que Jeremias profetizou: “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.” Jr 29.11. E se o nosso único futuro feliz for o céu, estamos gratos por isso? Nossa fé e esperança precisa nos levar para lá, ou seremos os mais infelizes de todos os homens!! (1a Co 15.19). Seu coração já descansa no céu?

Erlo Saul Aurich

Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come!

Difíceis os dias para todos no planeta! Dos enfermos e carentes aos dirigentes das nações.

Todas as soluções são complexas e o que as difere é o “grau da miopia” (que acomete a todos) com que se vê o problema. Com óculos vejo de perto mas não de longe, sem, vejo de longe mas não de perto!

Valorizar a vida, sempre, AQUI E AGORA, é o sábio, piedoso e necessário, mas e ALI E ALÉM? Não? Onde, quanto, como, o que sacrificar nesta hora para o bem do planeta também em um futuro próximo?

Que situação!

Sem defesas de ninguém e plenamente sequestrado pela graça da “ideologia do Reino” e, portanto, liberto de todas as demais, os dias HOJE são difíceis sim e demandam atitudes sensatas. As decisões muito complexas demandam sabedoria, o FUTURO de crise é iminente e, será, talvez, ainda mais caótico e demanda GRAÇA! Muita GRAÇA da parte de Deus – Criador, Mantenedor e Consumador de todas as coisas.

E pasmem, muitos estão e ainda estarão a se aproveitar de tudo isso com a máquina chamada “governo” a seu favor.

Quem tem a solução? Quem sabe diagnosticar a peste e suas consequências sociais, econômicas, políticas com precisão? O que deveria ser dito, feito, cogitado, olhando o cenário do ponto de vista das estruturas de saúde, dos modelos de produção, dos sistemas de controle, das relações sociais, dos esquemas políticos, do presente e do futuro?

Não tem respostas, por hora! Nem de um lado, nem do outro com a absolutividade demandada!

Façamos, pois, o que Deus manda nessa hora! Simples assim!

Oremos!

Senhor, tem misericórdia dos enfermos e seus queridos, no mundo, que sofrem os males nefastos desse mal…
Senhor, tem misericórdia das autoridades por Ti instituídas no mundo – todas foram – para cumprir Teus propósitos, ó Deus! Conforme a Tua vontade, faz o que melhor Lhe aprouver nesta hora a fim de que não percamos Teus ensinos pro coração, pra vida e usufruamos da Tua graça como o que nos basta nesses desafiadores dias.
Humilha-nos, exalta-nos, corrigi-nos, honra-nos, disciplina-nos, livra-nos, julga-nos, SALVA-NOS conforme o Teu bem e perfeito querer.
Em nome de Jesus, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, cumpre ó Deus Tua Palavra e exerce com o amor que Lhe é próprio, a saber, Tua soberania. E a faça para Tua glória e o bem dos homens que em Ti esperam e aguardam.
Humildes e atuantes, sem fugirmos de nossas responsabilidades, esperaremos quebrantados o cumprimento dos Teus propósitos na e para humanidade, em nome de Jesus…
Amém!

Bruno Brandão

Aprendizagem à Distância de Emergência

Quando é tempo de “afastar-se de abraçar”

No livro de Eclesiastes, o pregador afirma que “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu” (Ec 3:1), e segue descrevendo o tempo (a vida) através de pares de opostos: “há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar…” (Ec 3:2,3).
Como bem sabemos, a vida é muito mais do que um mero hiato entre o nascer e o morrer, pelo contrário, é inevitavelmente marcada pela constante alternância de tempos. Alguns são bons, saborosos e gostaríamos que eles durassem para sempre. Mas não duram, pois chega o “tempo difícil”, amargo e doloroso, sem aviso prévio, sem pedir licença para o “tempo bom” e se instala em nossas vidas.
Esse tempo difícil que estamos enfrentando, nos afetou de muitas formas, dentre elas, determinou que é “tempo de afastar-se de abraçar”. Distanciados uns dos outros, estamos privados daquilo que nos era tão comum, tão corriqueiro e tão caro: a presença amiga, o aperto de mão, o abraço caloroso, o beijo fraterno.
E já que há “há tempo para todo propósito debaixo do céu”, que esse tempo difícil nos ensine. Quando tudo isso passar, que nossos abraços sejam mais apertados, os nossos encontros sejam mais valorizados, a nossa comunhão mais sincera.
Um abraço (virtual) e caloroso a todos! Na esperança e na expectativa de que o Senhor do tempo, mude logo a nossa sorte, e nos traga de volta o precioso “tempo de abraçar”.

Em Cristo
Pr. Adriano Caires