Cultivando uma Mentalidade de Crescimento



FRACASSOS – CONTRATEMPOS – OBSTÁCULOS 



Quando lemos essas palavras, sentimentos de tristeza, derrota e dor podem vir à tona à medida que nos lembramos de situações desafiadoras. Nem sempre é fácil pensar sobre elas, não é mesmo? Vamos considerar essas palavras em um ambiente educacional com algumas perguntas difíceis.

  • Quando enfrentamos desafios como educadores, tendemos a evitá-los ou aceitá-los?
  • Quando os alunos enfrentam contratempos e obstáculos, eles desistem, culpam os outros ou buscam superá-los?
  • Quando enfrentamos críticas, nós as ignoramos, desprezamos ou aprendemos com elas?

As nossas crenças subjacentes sobre ensino-aprendizagem e inteligência têm um forte impacto no desempenho dos alunos. Todos nós já ouvimos estes lamentos de nossos alunos:

  • Eu não sou inteligente o suficiente!
  • Já tentei, mas não consigo.
  • Todo mundo faz isso melhor do que eu!
  • Eu desisto.

Quando os alunos acreditam que podem melhorar em algo, eles entendem que o esforço, o tempo e a persistência os ajudam a se destacarem. É um privilégio para nós poder ajudá-los a acreditarem que podem aprender e aumentar suas habilidades em novas áreas. Carol Dweck, uma pesquisadora educacional de Stanford, descreve como os alunos que adotam uma mentalidade de crescimento passam a acreditar que podem alcançar mais do que julgavam ser possível. Ela contrasta essa crença com uma mentalidade fixa, onde os alunos são fatalistas, acreditando que nasceram com uma inteligência limitada e vivendo com medo de serem fadados por suas inseguranças e inadequações. Ela escreve: “Não importa qual seja a sua capacidade, o esforço é o que desperta uma habilidade e a transforma em realização”.[1] A pesquisa de Dweck sobre a mentalidade tem tido uma influência global na visão sobre currículo e instrução, orientando os educadores a criarem ambientes de aprendizagem propícios ao crescimento, que ajudem as crianças a atingirem resultados de aprendizagem mais elevados

O Salmo 139:14 nos assegura que cada ser humano foi criado “de modo especial e admirável”. A mentalidade de crescimento mais poderosa que podemos cultivar em nossos alunos é a crença de que cada um deles é feito à imagem de Deus e, portanto, possui um enorme potencial para fazer grandes coisas. O apóstolo Paulo nos lembra que precisamos ser transformados pela renovação de nossas mentes para experimentarmos a perfeita vontade de Deus. Adotar uma mentalidade de crescimento nos ajuda a criar uma paixão poderosa pela aprendizagem transformadora. As Escrituras estão cheias de histórias em que Deus extraiu grandeza a partir de dificuldades, desafios e fracassos (por exemplo, considere José, Davi e Paulo). É perfeitamente possível mudar uma mentalidade fixa para uma mentalidade de crescimento vibrante.

As nossas práticas como educadores têm um grande impacto na mentalidade dos alunos. Podemos construir a sua auto-confiança, incentivando uma mentalidade de crescimento em nossas salas de aula. Aqui estão algumas dicas para fazer isso:

1. Desafios: Incentive os alunos a …

  • escolherem desafios mais complexos nas opções de tarefas de aprendizagem
  • aceitarem os desafios como oportunidades de aprendizagem
  • perceberem que seu valor como ser humano não está em jogo

2. Falhas: Crie um ambiente seguro de aprendizagem em que os alunos não tenham medo de errar enquanto aprendem. Incentive os alunos a…

  • verem os seus erros como uma etapa normal no processo de aprendizagem
  • entenderem que a sua identidade e valor como aluno e ser humano não está em seu desempenho

3. Obstáculos & Contratempos: Incentive os alunos a …

  • persistirem, dedicando mais tempo e esforço para superar os obstáculos
  • não culparem outras pessoas ou as circunstâncias

4. Esforço: Incentive os alunos a …

  • investirem tempo e energia em esforços para alcançar o domínio da matéria
  • evitarem pensar que todo esforço é inútil
  • não desistirem

5. Críticas: Incentive os alunos a …

  • aprenderem com as críticas, e a não se ofenderem com elas
  • não ficarem na defensiva, evitando ou ignorando as críticas

6. Sucesso Alheio: Incentive os alunos a …

  • inspirarem-se com o sucesso dos outros, participando da alegria daqueles que têm sucesso. (Essa atitude os ajuda a ver a maravilhosa imagem de Deus nos outros.)
  • não se sentirem ameaçados pelo sucesso dos outros, nem ser excessivamente autocríticos

7. Feedback:

  • Elogie o esforço e a perseverança e evite frases como “Bom trabalho, como você é inteligente!” Elogios sobre o trabalho árduo dos alunos são mais propensos a promover uma mentalidade de crescimento, onde eles são encorajados a persistirem, apesar do fracasso e contratempos.
  • Forneça feedback personalizado sempre que possível – ajude-os a verem o que já aprenderam e quais os próximos passos para continuarem progredindo. Incentive seu desenvolvimento.

Como educadores, é nosso privilégio criar ambientes de aprendizagem onde os alunos acreditam que Deus os criou com a capacidade de fazerem grandes coisas. Promover um ambiente encorajador e cultivar uma mentalidade de crescimento que acolhe desafios, prevê lutas e erros e fornece feedback rico e específico para melhorias,  capacita alunos!

Vamos aceitar o desafio de promover uma mentalidade de crescimento e incentivar o esforço e a perseverança que despertam a capacidade e a transforma em realização. Vamos cuidar da mentalidade de nossos alunos!

Esta é uma tabela de referência rápida para você imprimir, editar ou compartilhar com seus alunos:

Dorothy Gnanakan
Consultora Educacional
Serviços de Educação de Professores da TeachBeyond Global

[1] DWECK, Carol. S. Mindset: The New Psychology of Success. (Mentalidade: a nova psicologia do sucesso) New York: Random House: 2006, p. 41.

Posts recentes:

Eventos:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

Didaquê


Fique em contato com a gente

Escritório Nacional: Av. Júlio de Castilhos, 1401 Sala 501 — 95010-003 — Caxias do Sul/RS

um ministério:

TeachBeyond Brasil