O Poder do Feedback Significativo 

Um dos aspectos mais desafiadores — e mais gratificantes — de ser professor é o processo contínuo de dar um feedback[1] significativo aos nossos alunos. Sabemos que um bom feedback pode ser uma das ferramentas mais poderosas para estimular a aprendizagem dos alunos. No entanto, a maioria de nós enfrenta o duplo desafio de saber exatamente que tipo de feedback dar e como encontrar o tempo para fazê-lo da maneira certa. Afinal, a quantidade de alunos para cada professor não colabora muito nessas horas! Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a encontrar o equilíbrio e maximizar as oportunidades de aprendizagem de seus alunos.

O feedback significativo é específico

Declarações gerais como “bom trabalho!” ou “tópico frasal fraco” não são úteis como feedback, pois elas não ajudam o aluno a entender o que exatamente está sendo avaliado como “bom” ou “fraco”. Na verdade, essa falta de conexão entre o trabalho do aluno e feedback do professor pode enfraquecer e desmotivar os alunos, pois eles não têm certeza de como melhorar seu trabalho, nem de como aumentar a sua compreensão do conteúdo.

Em vez disso, o feedback significativo está vinculado a uma habilidade, resultado ou comportamento específico, que pode ser facilmente observável ou demonstrável. Isso permite que você descreva o que o aluno fez bem, ou o que ele pode fazer para melhorar a área em questão, a fim de alcançar o objetivo desejado. Exemplos de afirmações significativas podem ser: “Você se lembrou de que multiplicar dois números negativos resulta em um número positivo” ou “Sua introdução identificou o tópico, mas não diz ao leitor a direção que seu artigo vai tomar.”

Ter critérios de avaliação bem definidos e devidamente comunicados aos alunos também podem fornecer feedback significativo, se forem usados para destacar coisas específicas que o aluno fez ou não realizou em um determinado quesito. Além de destacar quais quesitos do critério de avaliação foram cumpridos satisfatoriamente ou não, também pode ser útil fazer um breve comentário ao seu lado para indicar como o aluno pode melhorar na próxima vez.

O feedback significativo é oportuno

Vários estudos confirmaram o que já intuitivamente sabíamos ser verdade: o feedback oferecido em um momento adequado é mais eficaz para a aprendizagem no aluno.[2] Aspectos mais simples, como apontar pequenos deslizes dos alunos durante o tempo de exercícios em sala de aula, podem ser feitos imediatamente. Já aspectos mais complexos, como orientar os alunos nos vários estágios de um artigo de pesquisa, podem exigir encontros individuais com eles. Seja qual for a sua forma, o feedback na hora certa permite que os alunos façam conexões — e correções — em seu pensamento enquanto o material ainda está fresco nas suas mentes.

O feedback significativo estimula o crescimento do aluno

Isso significa que é importante focar tanto no que o aluno está fazendo bem, quanto nas áreas em que ele pode melhorar. O feedback focado apenas na melhoria pode levar ao desânimo e à desmotivação; no entanto, o feedback que se concentra apenas no que o aluno fez bem pode inibir a motivação do aluno para melhorar. Um equilíbrio entre os dois é necessário.

Na prática, uma dica útil ao fornecer feedback é a técnica do sanduíche (eu gosto de pensar nisso como um biscoito recheado): uma coisa que o aluno fez bem, uma área em que ele pode melhorar, e uma outra coisa que o aluno fez bem.

Outra prática útil é reservar um tempo para reconhecer quando os alunos reagiram ao feedback anterior. Imagine que você tem um aluno que constantemente luta com o uso correto do acento gráfico. Quando ele acertar e você comentar sobre isso, ele vai saber que você está vendo o seu esforço e crescimento nesta área. Quando os alunos notam que você valoriza os seus esforços, eles ficam muito mais motivados para tentar outras melhorias também.

O feedback significativo é compreensível

Talvez uma das coisas mais frustrantes que podemos fazer com nossos alunos seja dar feedback em uma linguagem que eles não entendem. Para fornecer feedback específico e bem direcionado, precisamos usar uma linguagem mais acadêmica. Antes de fazermos isso, no entanto, precisamos ter certeza de que nossos alunos entendem esse tipo de linguagem. Não adianta eu dizer aos meus alunos que eles deveriam usar uma vírgula para separar a oração subordinada da oração principal, se eles não souberem o que é uma oração no sentido gramatical.

Para garantir que eles entendam do que estamos falando, podemos inicialmente passar um tempo ensinando explicitamente nossos alunos a usar e interpretar o vocabulário acadêmico. Assim que eles assimilarem isso, os resultados valerão a pena porque ganharemos tempo nas próximas correções.



Becky Hunsberger
TeachBeyond Global
Serviços de Formação de Professores

Trad. Raphael A. Haeuser


[1] A palavra feedback vem do inglês e refere-se a um retorno ou opinião do público, incluindo elogios e críticas construtivas.

[2] STENGER, Marianne. 5 Research-Based Tips for Providing Students with Meaningful Feedback (5 dicas baseadas em pesquisas para fornecer feedback significativo aos alunos). https://www.edutopia.org/blog/tips-providing-students-meaningful-feedback-marianne-stenger?_ga=2.5526259.1198555323.1637086103-1989137436.1636400168. Acesso em 06/08/2014.


Outros recursos que influenciaram a escrita deste artigo:

Texto original em https://www2.teachbeyond.org/article/providing-meaningful-feedback

Posts recentes:

Eventos:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

Didaquê


Fique em contato com a gente

Escritório Nacional: Av. Júlio de Castilhos, 1401 Sala 501 — 95010-003 — Caxias do Sul/RS

um ministério:

TeachBeyond Brasil