Preparando o Solo para o Aprendizado

O que torna o ensino eficaz? Como preparamos o “solo” na sala de aula para uma aprendizagem duradoura?

Tradicionalmente, as salas de aula seguiram um modelo histórico de ensino envolvendo instrução centrada no professor. Depois da palestra geralmente vem o questionário elaborado pelo professor para verificar a compreensão, os exercícios individuais para solidificar o conceito e uma tarefa de casa para aplicar a aprendizagem. As crianças ouvem, podem fazer anotações, mas logo perdem o brilho nos olhos, ficam “viajando” nos seus próprios pensamentos, ou até mesmo perdidos em seus mundos privados. Não importa se as crianças estão no jardim de infância ou na faculdade. Neste tipo de sala de aula, quanto mais o professor fala, mais os alunos se desengajam. Pesquisas sobre aprendizado em sala de aula indicam que os alunos começam a se desligar depois de apenas 10 minutos de um professor falando.[1]

A expressão “Aprendizagem Ativa” às vezes é usada em salas de aula e salas de professores. Muitas vezes está associada a ser um professor criativo ou “se divertir” em sala de aula, mas com o tempo percebemos que a aprendizagem ativa tornava o aprendizado mais eficaz. A aprendizagem ativa consiste em encontrar múltiplas maneiras de apresentar informações enquanto os alunos se engajam com o material de diferentes maneiras.

O primeiro passo para o ensino eficaz vem antes de apresentar novos conteúdos. Precisamos preparar o cérebro de nossos alunos para o que está por vir. A aprendizagem torna-se mais eficaz se prepararmos o solo, ajudando os alunos a antecipar o que estão prestes a aprender.

Comece ligando os novos conceitos ao que já foi assimilado anteriormente. Pergunte-se: o que eles aprenderam no passado sobre esse assunto, quais experiências pessoais eles tiveram com o conceito, quais experiências compartilhadas você pode se referir enquanto eles se preparam para novos conteúdos? Revise o aprendizado anterior, fale sobre palavras de vocabulário relevantes, faça um brainstorming do que eles já sabem sobre o assunto e pergunte quais outras coisas eles gostariam de explorar.

Em seguida, continue conectando conteúdo novos aos anteriores, ajudando-os a prever e preparar-se para o aprendizado que está prestes a ocorrer. Desperte interesse no assunto usando objetos concretos, videoclipes, experiências pessoais e histórias. Visualize o conceito com eles, ajudando-os a ver como tal coisa é através de brainstorming, mapas mentais, imagens, mapas ou diagramas. Compartilhe os objetivos da lição com eles, dando-lhes um roteiro claro para seu aprendizado. Quando preparamos o solo de aprendizado para a próxima fase de instrução, isso resulta em informações que perduram…

A melhor forma de ajudar os alunos a recordar informações antigas e apresentar novas informações é trabalhar em partes. Comece com uma mini-palestra ou instrução verbal direta de curta duração, ajudando-os a visualizar o conceito através de gestos e imagens. Adicione um componente experiencial por meio do uso de aprendizado cooperativo, discussões em pequenos grupos (pense – discuta – compartilhe), jogos com a turma, ou dramatização. Crie estratégias de anotações, como mapas conceituais, mapas mentais, quadros para preencher, anotações rápidas para ajudar os alunos a organizar e visualizar as informações de uma nova maneira, deixando-as saltar da página do livro didático e transformando-as em uma ferramenta organizacional iniciada pelo aluno.[2] Os alunos podem utilizar melhor o aprendizado quando se envolveram com o material de uma nova maneira e transformaram-no em algo que os envolva ativamente.



Susan Alford, Ph.D. e Michelle Lundgren, Ed.D.
Departamento de Formação de Professores
Grace University

Trad. Raphael A. Haeuser


Este texto foi extraído do artigo “Purpose-Driven Instruction: Planting the Seeds of Learning” publicado em inglês na revista de educação da ACSI. CSE Vol.18. Nº 3. 2014/2015. Para ler o artigo completo visite o site de publicações da ACSI. O trecho foi usado com permissão pelo OnPractice, repositório de recurso para professores da TeachBeyond global, e aqui foi traduzido e adaptado para o português. Texto original aqui: https://www2.teachbeyond.org/article/preparing-the-soil-for-learning

[1] BIFFLE, C. 2013. Whole Brain Teaching for Challenging Kids. (Ensino do cérebro inteiro para desafiar crianças) Seattle, WA: Whole Brain Teaching LLC.

[2] ROZELLE, Jan & SCEARCE, Carol. 2009. Power Tools for Adolescent Literacy (Ferramentas Poderosas para o Letramento de Adolescentes. Bloomington), IN: Solution Tree Press.

Posts recentes:

Posts relacionados:

Eventos:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

Didaquê


Fique em contato com a gente

Escritório Nacional: Av. Júlio de Castilhos, 1401 Sala 501 — 95010-003 — Caxias do Sul/RS

um ministério:

TeachBeyond Brasil